DIA INTERNACIONAL DO LIVRO INFANTIL

Comemora-se hoje, dia 2 de Abril, o Dia Internacional do Livro Infantil, data que desde 1967 lembra mundialmente o nascimento (1805) de um dos principais autores deste género de literatura: Hans Christian Anderson. O aparecimento e desenvolvimento de uma literatura especificamente dirigida às crianças e jovens é coetâneo da 'revolução' da imagem da infância no séc. XVIII, entendendo-se como um ser com características próprias e não apenas um adulto em miniatura. Por outro lado, as primeiras obras deste género com grande difusão têm origem na tradição oral e adaptam no séc. XIX e XX fábulas, contos morais, histórias fantasistas com recurso a seres imaginários ou imaginados.

Nos séculos XV a XVII, o aparecimento da imprensa permitiu uma maior difusão das ideias numa sociedade pouco letrada e o contacto direto com os autores do período clássico desde aí traduzidos de originais gregos para latim. É um destes livros, de uma 'proto literatura' infantil, que hoje tiramos da estante para aqui mostrar. É uma obra do séc. XV, do início da imprensa e por isso chamada de incunábulo que recolhe a tradução latina da maioria das fábulas de Esopo e a sua biografia. Reconhecemos várias das histórias que contém, com ligeiras variações, em quase todas as línguas da Europa. Neste exemplar o acesso infantil está marcado nas suas páginas pelo que parece ser um "treino de assinatura" da sua proprietária "Lucretia Borghese". A pintura das ilustrações é também um dos elementos que nos remetem para a literatura infantil.

[Aesopi Vita et fabulae..] / [trad. lat.] Francisco Tuppo. - Napoli : [Francisco Tuppo e Germani Fidelissimi], 1485 Fevereiro 13. - [158] f. il. ; 2°. — Assin.: a6 b10 c8 e6 f6. — Pert.: Lucrezia Bolognese.. [ms.]

Colofão: ‘‘Impresse Neapoli ...sub anno domini M. CCCC. LXXXV. die XIII mensis Februarii’’.

BA 48-X-12

CPB e FG@BA